Blog Resorts Brasil

MALAI MANSO REVELA 24 PRÁTICAS SUSTENTÁVEIS ADOTADAS NO RESORT

Inaugurado há pouco mais de um ano no Centro-Oeste o Malai Manso Resort Iate Golf Convention & Spa, resort all inclusive na Chapada dos Guimarães (MT), apresenta as medidas adotadas pelo empreendimento para preservar os recursos naturais existentes às margens do Lago do Manso. São ações importantes que foram aplicadas em diferentes fases e que fizeram a diferença dentro e fora do resort na redução dos impactos ambientais e sociais. Controle de erosão e assoreamento, monitoramento e manutenção da fauna terrestre, recuperação das áreas alteradas e a capitação de energia solar são alguns exemplos.
De acordo com a gestora ambiental do Malai Manso, Monaliza Sehn, o resort obteve licença ambiental da Secretaria de Estado do Meio Ambiente (Sema-MT) por meio de um estudo e um relatório de impacto ambiental. O documento retratava com exatidão dados do meio físico, biótico e sócio cultural de toda a base do empreendimento e da região, com o objetivo de validar as ações e os programas planejados para evitar, reduzir e compensar os impactos no meio ambiente.
Além das responsabilidades assumidas com a Sema-MT, o Malai Manso possui funcionários habilitados para conscientizar, assessorar e supervisionar a interação do homem com a natureza, permitindo uma operação sustentável, e deixando os turistas desfrutarem do cerrado brasileiro, sem danificá-lo. A seguir as 24 práticas já implementadas no empreendimento.
• Controle e gerência para construção;
• Gerenciamento de risco emergências ambientais;
• Programa de saúde e segurança dos trabalhadores;
• Educação ambiental e comunicação social;
• Controle da erosão e assoreamento;
• Monitoramento da qualidade da água superficial e subterrânea;
• Monitoramento da qualidade do ar;
• Gerenciamento dos efluentes líquidos;
• Gerenciamento e disposição dos resíduos sólidos;
• Recuperação das áreas alteradas;
• Revitalização dos espaços verdes e paisagismos;
• Monitoramento e manutenção da fauna terrestre;
• Controle ambiental de desmobilização das obras;
• Gerenciamento e disposição final dos efluentes líquidos e resíduos sólidos;
• Monitoramento da população de capivaras;
• Envolvimento dos funcionários em palestras e programas na área da saúde e segurança e práticas do uso racional dos recursos naturais, riscos e emergências ambientais;
• Busca permanente de fornecedores e produtos que desempenham suas atividades de forma que não agridam o meio ambiente e que venham a preservá-lo;
• Placas solares em todas as Casas Boutique e Apartamentos do hotel;
• Priorização para aquisição de equipamentos eletrônicos de baixo consumo de energia;
• Sensores de presença e utilização de lâmpadas econômicas;
• Vasos sanitários com caixa acoplada e duas opções de descarga;
• Redutor de vazão nas torneiras;
• Sistema de irrigação inteligente com sensor de umidade, visando diminuir o consumo de energia e de água;
• Realização de estudos para implantação da horta orgânica e pomar.
Para complementar as ações sustentáveis, medidas espontâneas foram implantadas como, por exemplo, a captação de energia solar para o aquecimento dos chuveiros nos apartamentos e casas boutiques. “A conta de energia elétrica dos hotéis costuma ser o maior custo. Em números, podemos dizer que as 330 placas solares instaladas geram uma economia de 15%. Com o dinheiro economizado é possível pensar em investir em outras ações como a realização de estudos para implantação da horta orgânica e um pomar no empreendimento que já está em andamento”, revela Ricardo Gouveia, diretor comercial do resort.